Blog

Oito erros que um líder jamais deve cometer

  • em 24 de novembro de 2014 ·
  • por ·
Oito erros que um líder jamais deve cometer

Liderar equipes é uma tarefa que exige equilíbrio, maturidade e dedicação. Tornar-se ou demonstrar ser um bom líder é uma das melhores formas de se alcançar destaque na empresa e, consequentemente, sucesso na carreira profissional. Para que tudo ocorra bem, confira oito dicas sobre posturas que um líder jamais deve tomar.

1. Adotar o papel de bonzinho ou malvado
Muitos líderes sofrem na hora de escolher que papel adotar ao tomar decisões, definir quem fica ou sai da equipe, cobrar resultados ou resolver conflitos. No entanto, vestir uma “máscara” e agir de acordo com ela é um dos equívocos mais comuns. Líderes devem entender que não é preciso incorporar nenhum papel: o ideal é tentar ser o mais justo possível em cada situação.

2. Ver sua equipe apenas como um grupo de subordinados
O modo de relacionar-se com os membros da equipe define a atitude do líder. Ao enxergar cada um apenas como um subordinado, o profissional em cargo de chefia não sai da visão tradicional de chefe e subordinado. O entendimento de equipe deve ser que todos formam um conjunto, em que os profissionais estão ali para somar habilidades e competências para obter resultados.

3. Conduzir a equipe e seus rumos de forma incoerente
Pedir que a equipe tenha comprometimento com os interesses da empresa, mas usar a afinidade pessoal na hora de promover um funcionário é um deslize comum a muitos líderes. Há, ainda, quem estabeleça normas, mas acaba sendo complacente quando alguém de quem ele gosta as transgride. Esse é um grande erro que compromete a imagem e a autoridade do líder perante toda a equipe.

4. Ignorar as diferenças entre cada membro da equipe
Cada profissional é uma pessoa única, e ignorar as especificidades de cada um não é a melhor maneira de obter o máximo da equipe. Dosar e saber quais são os estímulos mais eficazes para cada um é essencial. Alguns profissionais são motivados de uma forma, outros, de outra. O importante é estar atento e entender como fazer cada um dar o melhor de si.

5. Não dedicar tempo às pessoas da equipe
Orientar e reconhecer o trabalho bem feito pela equipe é fundamental, mas poucos chefes dedicam tempo suficiente para o desenvolvimento e crescimento de seus profissionais. A própria avaliação de desempenho, importante ferramenta dentro das empresas, muitas vezes é feita em intervalos entre outras atividades e com pouca dedicação. É preciso dedicar tempo para escutar as pessoas e ajudá-las a pensar no seu crescimento profissional.

6. Executar tarefas delegadas à equipe
Ao assumir tarefas que foram delegadas à sua equipe, o chefe se sobrecarrega, prejudicando o seu crescimento e o crescimento de seus funcionários. Muitas vezes, isso ocorre porque os chefes querem continuar executando tarefas, e isso provoca um congestionamento da agenda.
Não raramente, vemos chefes competindo com os membros da equipe, como um chefe de equipe de vendas que insiste em continuar vendendo, mas deveria estar ajudando seus vendedores a venderem mais.

7. Aplicar rótulos a membros da equipe
Quando um chefe define um membro da sua equipe como competente, incompetente, preguiçoso, lento, etc., ele limita o indivíduo. Esse rótulo gera comodismo, porque a pessoa pensa que, se já está categorizada como incompetente, não tem por que dar o seu melhor.

8. Impor através do poder
A única coisa que um chefe autoritário pode conseguir é que os membros da equipe percam a vontade de criar, inovar. Usar o cargo de chefia para se impor e fazer com que a equipe chegue ao resultado por bem ou por mal é um erro grave. O líder deve influenciar, estimular e envolver as pessoas, para que elas estejam engajadas e não se sintam apenas obrigadas a alcançar resultados.

 

 

Com informações do Administradores.com.br

Comentários

comentários